InícioCompetiçõesA história da Copa São Paulo de Jrs.

A história da Copa São Paulo de Jrs.

História da Copa São Paulo de Juniors
Em 25 de janeiro de 1969, há quase 48 anos, Corinthians e Nacioal-SP decidiam a 1ª.Copa São Paulo de Jrs, com poucos clubes participando e no máximo 4/5 clubes de outros Estados próximos, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.
Assim tinha início a uma competição que viria a se tornar uma referência para jovens jogadores que ano a ano surgiriam nos nossos clubes. No ano seguinte o Corinthians conquistava o bicampeonato em decisão contra o Palmeiras. Em 1971 era a vez de uma sensacional decisão carioca entre Fluminense x Botafogo que ficaram no 3×3 no tempo normal, mais 1×1 na prorrogação e pênaltis com 4×3 para o tricolor.
E assim os anos se passaram e alguns jogadores começaram a surgir como o zagueiro Edinho, os meias Falcão e Toninho Cerezo.
Clubes como Nacional-SP e Marília-SP chegariam ao título. O Atlético-MG também conquistaria um bicampeonato em 1975/1976, mas o maior vencedor em seus primeiros 18 anos seriam o Fluminense com 4 conquistas. Em 1980 temos o primeiro participante internacional, o Providência-MEX, seguido do Velez Sarsfield-ARG em 1981 e 1982, e fechando com o Bayern Munique-ALE em 1985.

Os décadas se passaram e muito aconteceu com o Torneio. Muitos campeões, clubes, regulamentos, até chegar ao que temos hoje. Então para ter-mos uma ideia geral da competição vamos ver em 3 períodos diferenciados.

1969-1986
Foi o período inicial, que em média participavam 16 clubes, em alguns anos chegando aos 32, e muitas vezes começando no ano anterior e finalizando em janeiro, apesar de poucas vezes ter sido decidida na data de aniversário de São Paulo, em 25 de janeiro. Em alguns anos tivemos o torneio sendo disputado totalmente no mês de dezembro, como em 1981, 1982 e 1983. Também entre 1984 e 1986 com a partida de disputa da 3ª.colocação.
Em relação aos títulos, os clubes de São Paulo ficaram com 8 conquistas, o Rio de Janeiro com 4 taças, todas do Fluminense, 3 também para o Atlético-MG e para o Internacional-RS.
Neste momento de sua história, um total de 13 Estados do Brasil se fizeram representar, com títulos somente para SP, RJ, RS e MG. Também 3 países (México, Argentina e Alemanha) tiveram participantes.

1988-2003
Um segundo período marcaria algumas transformações. A 19ª. edição que deveria ser realizada em janeiro de 1987, em que a Prefeitura de São Paulo era a responsável por patrocinar, não acontecia – a crise financeira do país seria a justificativa, o país passa pelo Plano Cruzado de 1986 e até mesmo em 1987 a CBF chegaria a declarar que não teria como arcar com o Campeonato Brasileiro, vindo a surgir o Clube dos 13 e a Copa União.
Nesta época a cada ano mudava a quantidade de clubes, os regulamentos que chegavam a ter uma segunda fase de grupos (1988, 1990, 1991, 1993 e 1994), a disputa da 3ª.colocação em alguns anos, e a decisão as vezes ocorrendo em 19jan, 24jan, 31jan, 26jan. A partir de 1994 ficava com fixa a decisão em 25jan.
Também nos anos de 1994 e 1995 foi disputada uma Supercopa da Taça SP, as duas com 16 participantes, em 4 grupos de 4 times, quartas, semifinais e decisão, em 1994 conquistada pelo Atlético-MG e no ano seguinte pelo Palmeiras, o único título do clube, pois nunca conquistou a Copa São Paulo, desde 1969. Esta competição em suas duas edições fora disputada no meio do ano, a 1ª. em junho/94 e a 2ª. em agosto/95.
Mais outros 9 times conquistaram o título, uma sequência de 1990 a 1994, com respectivamente Flamengo-RJ, Port.Desportos-SP, Vasco-RJ, São Paulo-SP e Guarani-SP. Ainda chegariam à primeira conquista o América-MG em 1996, o Paulista em 1997, o Roma-SP em 2001 e o Santo André-SP em 2003.
Interessante que tanto o Paulista-SP quanto o Santo André-SP seriam campeões da Copa do Brasil em 2005 e 2004, respectivamente.
O Fluminense conquistaria seu 5º.título em 1989, e mais Internacional-RS e Corinthians-SP chegavam ao 4º.título cada. Acumulando as conquistas para São Paulo em 19 taças, Rio de Janeiro com 7 taças, e mais 4 conquistas cada, para Minas Gerais e Rio Grande do Sul
Também ainda tivemos as participações de times de outros países, como o Guadalajara-MEX em 1988, o Boca Juniors-ARG em 1993, o Penarol-URU em 1993, o Cerro Porteno-PAR em 1994 e 1997, o Verdy Kawasaki-JAP em 1996 e a Seleção da China em 1997.

2004-2018
O terceiro período da história da Copa São Paulo começa em 2004 e finalizará com seu cinquentenário em 2019, que será sua 50ª. edição (na verdade já seria a 51ª. edição se não fosse a não disputa de 1987).
Começando em 2004 com 80 clubes, vinte a mais que no ano anterior. A competição se expande para diversas sedes, sempre com 4 times por grupo, com uma equipe local e outras 3 participantes. Para a fase seguinte ter um número múltiplo para chegar até a decisão, garantia-se ao vencedor de cada grupo a classificação, e a quantidade de 2º.colocados para formar as fases eliminatórias.
O Corinthians se tornaria o grande destaque desde 2004, com 6 conquistas, e assim tornando-se o maior campeão com 10 títulos, ultrapassando o Fluminense que ficou como maior campeão de 1977 até 2004, quando o Corinthians igualava-se em 5 taças. Chegaram até decidir a edição de 2012, com vitória do time paulista.
E nestas 14 edições até 2017, somente mais 3 clubes conquistaram seu 1º.título, o América-SP em 2006, o Cruzeiro-MG em 2007 e o Figueirense-SC em 2008.
Na soma geral, São Paulo vai com 29 taças, Rio de Janeiro com 9 conquistas, Minas Gerais com 5 taças, Rio Grande do Sul com 4 taças e Santa Catarina com 1 taça.
Entre 2005 e 2009 eram 88 participantes a cada ano, aumentando para 92, 96 e 100 até 2013. Mais dois anos com 104, 112 em 2016, e neste dois últimos anos com 120 clubes. São muitos clubes, são 30 grupos sediados e 3 rodadas cada. Daí seguem os vencedores e mais 2º.colocados, mantendo as fases eliminatórias com a competição, geralmente iniciando dia 2jan e terminando em 25jan.

Em 2018
Estamos na primeira fase com seus 30 grupos e até dia 25 as fases eliminatórias.
Dia 25jan sai o campeão, podendo ser um dos 21 que já chegaram ao título, ou outro clube inédito.

Post Anterior
História AGORA, "Informativo em Revista" - Edição 7 ESPECIAL - Almanaque do Futebol Brasileiro 2017
Próximo Post
O calendário de 2018 em resumo

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.