InícioClubesDepois do Rebaixamento…. clubes brasileiros.

Depois do Rebaixamento…. clubes brasileiros.

Futebol Brasileiro
O 7º.título brasileiro do Corinthians conquistado recentemente trás um assunto interessante para os nossos grandes clubes. O que seria “depois do rebaixamento” este título. Na história do campeonato brasileiro, desde os anos 1970, existiram algumas situações de “vexames” seja por rebaixamentos (como o Internacional que agora retorna para 1ª.divisão em 2018), que passou a ser efetivado no brasileiro de 1988, no ano seguinte àquelas questões da Copa União.

Anos 1970
Antes entre 1975 e 1978, existia a figura da “Repescagem” dentro no brasileiro, em que a segunda fase do campeonato eram os participantes dos grupos que não conseguiam classificação e que tinham a oportunidade de voltar para a Terceira Fase através desta repescagem, há época um vexame para os grandes clubes. Afinal, o futebol brasileiro se expandia pelo interior do país em outras regiões com a construção de vários estádios e o aumento anual de clubes participantes.
Em 1975 então, quem ficou por este caminho fora o Botafogo-RJ (num grupo com Fortaleza, Comercial-MT, Rio Negro-AM e Moto Clube-MA) e o Santos (com Port.Desportos, Goiânia-GO, Vitória-BA, Sergipe-SE e Campinense-PB). O Botafogo se recuperou e foi para a Terceira Fase, mas o Santos ficou pelo caminho.
No ano seguinte, quem foi para esta Repescagem foi o Cruzeiro (contra Port.Desportos, Uberaba-MG, Confiança-SE e Londrina-PR) e o Vasco (contra Mixto-MT, Goiânia-GO, Americano-RJ e América-MG). O Cruzeiro foi eliminado pela Port.Desportos e o Vasco foi para a Terceira Fase.
Em 1977, nenhum grande passou por isso, mas tivemos Coritiba, Sport, Náutico, Goiás, Atlético-PR, Vitória-BA e América-MG passando por isso, e o mais interessante é que o Londrina-PR saiu desta repescagem para na Terceira Fase eliminar juntos no mesmo grupo, Vasco, Corinthians, Flamengo, Santos e Caxias-RS, vencendo todos e indo para as semifinais contra o Atlético-MG. Por sinal completando nesta virada de ano, 40 anos.
Em 1978, último ano em que tivemos esta repescagem, o Londrina-PR fez o mesmo caminho, mas nenhum clube grande passaria por lá.

Anos 1980/1990
Entre 1980 e 1984 havia duas situações em que alguns clubes grandes passaram. Uma era disputar uma Repescagem de jogo único, na Taça de Ouro, para tentar prosseguir no campeonato. Outra era ter começado na Taça de Prata, e na Segunda Fase um acesso para a Taça de Ouro.
A 1ª. situação, ocorreria em 1982, com o Cruzeiro passando pela Desportiva-ES (1×0) neste jogo único, em 1983 era a vez do Botafogo fazendo 3×1 no Ferroviário-CE. Em 1984, nenhum grande passaria por isso.
Na outra situação, em 1981, o Palmeiras iniciou disputando a Taça de Prata (por sua péssima campanha no campeonato paulista de 1980) e por ironia se encontrando com o Guarani-SP na segunda fase, reeditando a decisão do brasileiro de 1978, quando então conseguia chegar à Taça de Ouro, indo enfrentar Internacional, Sport e Goiás.
Em 1982 quem estava na Taça de Prata era o Corinthians no mesmo grupo do América-RJ. Na segunda fase passou por Fortaleza-CE e Campinense-PB e foi para a Taça de Ouro, ficando no grupo de Flamengo, Atlético-MG e Internacional, e ainda eliminando os dois últimos. Na terceira fase da Taça de Ouro, passou por Bahia, na sequência por Bangú e chegava nas semifinais contra o Grêmio, e sim este iria para a decisão contra o Flamengo. No ano seguinte não haveria mais este acesso durante a competição.

Passaram alguns anos e estava implantado o acesso/rebaixamento entre as divisões, a partir de 1988. O 1º. Grande clube a cair seria o Grêmio em 1991, na última colocação de 20 participantes. Retornaria no ano seguinte, não como campeão ou vice, mas na 9ª.colocação entre 12 clubes que subiram. O clube nos anos seguintes conquistaria a Copa do Brasil em 1994-1997, a campeonato gaúcho 1993-1995-1996-1999, a Libertadores 1995, a RECOPA 1996, o Brasileiro 1996 e o vice no Mundial em 1995 contra o Ajax. Tudo poderia ficar esquecido senão outro rebaixamento para a 2ª.divisão nacional em 2004 (último colocado de 24 participantes). Um retorno épico da 2ª.divisão contra o Náutico e este ano de 2017 conquistando sua 3ª. Libertadores depois de 22 anos.

Em 1995, o tricolor carioca – Fluminense, revigorado com diversos jogadores, conquista o Estadual depois de 10 anos em Fla-Flu do gol de barriga. No fim do ano chegava as semifinais do Brasileiro, mas derrotado pelo Santos. Os anos seguintes seriam os piores possíveis, nunca imaginado por qualquer torcedor. Fica na zona de rebaixamento em 1996, mas por diversos outros motivos extra-campo, permanece em 1997, quando novamente é rebaixado. Ainda seria pior em 1998, caindo da 2ª. divisão para a 3ª.divisão, o primeiro clube campeão brasileiro a ir parar na Terceirona (Bahia em 2006 e Guarani-SP em 2007 fariam a mesma coisa). No fundo do poço estava o Fluminense.
Conquista a 3ª.divisão em 1999, e em 2000 na CJH faz campanha surpreendente. Em 2001 e 2002, chega as semifinais contra Atlético-PR e Corinthians, sendo derrotado em ambos, mas resgatando a importância do clube. Em 2007 conquista a Copa do Brasil, em 2008 vai a final da Libertadores e em 2009 a final da Copa Sul-Americana.
Uma grande recuperação na 1ª.divisão do brasileiro de 2009 propicia com o mesmo elenco a conquistar o brasileiro de 2010. Com elenco melhor em 2012, conquista o brasileiro novamente.

Anos 2000
Em 2002, no ano de penta da seleção, pela primeira vez e única vez até hoje, dois grandes clubes do país caem juntos para a 2ª.divisão do brasileiro, Palmeiras e Botafogo, o time paulista campeão brasileiro 1993/1994 e o Botafogo campeão nacional em 1995. Disputam a 2ª.divisão em fases e conseguem juntos retornar para 2004, ano da 2ª.edição do brasileiro de pontos corridos.
Nos anos seguintes, o Palmeiras retoma participações na Libertadores, na Sul-Americana, conquista o Paulista em 2008 e a Copa do Brasil de 2012, porém no mesmo ano sendo rebaixado no Brasileiro pela 2ª.vez. Conquista a Segundona em 2013, a Copa do Brasil em 2015 e o Brasileiro em 2016.
Já o Botafogo conquistaria o Estadual em 2006, 2010 e 2013, participava da Sul-Americana diversas vezes, e um inesperado rebaixamento para a 2ª.divisão do Brasileiro em 2014, retornando da 2ª.divisão com a taça, e agora em 2017 com as semifinais da Copa do Brasil e campanha aguerrida na Libertadores.

A próxima baixa é do Atlético-MG, rebaixado da 1ª.divisão em 2005, conquistando a Segundona em 2006, alguns campeonatos mineiros (2007, 2010, 2012, 2013, 2015 e 2017), uma Libertadores (2012) a Copa do Brasil (2014) e outras participações na Libertadores.

Em 2009, o Corinthians bicampeão brasileiro 1998/1999 e 2005 vai para a 2ª.divisão do Brasileiro. Faz campanha disparada e conquista o título e o retorno. Em 2011 conquista a 1ª.divisão, em 2012 a Libertadores, o Mundial da FIFA e ainda os brasileiros de 2015 e 2017.

O Vasco passava os anos 2000 de forma regular, depois do título da Copa João Havelange de 2000 e o vice da Copa do Brasil de 2006, e quando chegou em 2008 o clube seria rebaixado para a 2ª.divisão do brasileiro. O que poderia ser um ano a se recuperar, com a própria conquista da 2ª.divisão, seguindo a conquista da Copa do Brasil de 2011 e o vice brasileiro de 2011, o clube ainda sofreria dois rebaixamentos no Brasileiro, em 2013 e 2015, com o contraste do bicampeonato carioca em 2015/2016. Nas passagens pela 2ª.divisão, conquistou o título em 2009, mas foi 3ª.colocação em 2014 e 2016.
Dos grandes clubes que caíram, além destes dois retornos do Vasco sem o título, este ano também o Internacional retorna para a 1ª.divisão sem a conquista.

Vários grandes clubes já caíram, e outros ainda se vangloriam de nunca terem caído. Até quando ?

Post Anterior
Copa da Rússia, sorteio dos grupos - informações e curiosidades.
Próximo Post
O futebol europeu em seus campeonatos e copas, o que está acontecendo.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.