InícioMomento HistóricoEspecial História das Copas, capítulo 1/10.

Especial História das Copas, capítulo 1/10.

Histórias da Copa – capítulo 1/10
Há 10 semanas do início da 21ª. Copa do Mundo, na Rússia, vamos percorrer por vários assuntos a cada semana, informações históricas, falar sobre os campeões, gols, grandes jogos, participações em eliminatórias, até o dia 14/6, quando Rússia e Arábia Saudita entrarão em campo para a 1ª.partida.

Um sonho idealizado e concretizado.
A 1ª. copa do mundo foi a realização do sonho do francês desportista Jules Rimet, então presidente da Federação de Futebol da França a partir de 1919, e que viria a ser presidente da FIFA dois anos depois.
O futebol mundial nos anos 1920, em termos de Seleções dos Países, estava se destacando nos Jogos Olímpicos, pois a única competição de Seleções era o Campeonato Sul-Americano, iniciado em 1916, e que se tornaria a Copa América décadas mais tarde. Nas olímpiadas, o futebol estava sendo disputado em forma de exibição e já no início do século XX fazendo parte do calendário de competições. E era com esta visibilidade, que Jules Rimet deseja implementar uma Competição de Seleções que envolvesse todos os continentes. Foram alguns anos de contatos e desenvolvimento das ideia, e em homenagem ao Uruguai, bi-campeão olímpico em 1924 e 1928, é que o país surgiu como o primeiro país sede da história das Copas.
No dia 13 de julho de 1930, a 1ª.partida seria disputada, numa competição que contaria com 13 países, e que 17 dias depois contemplava aos Uruguaios, o 1º.título mundial.
E a partir disso, que vamos transcorrer as décadas até chegarmos no dia 14 de junho de 2018.

SEDE – ESTÁDIOS – JOGOS – PÚBLICOS – CAMPANHAS – TÍTULOS – CONTINENTES

URUGUAI
1930 (campeão)
Estádio Pocito (2), Centenário (10), Parque Central (6).
Público total de 434.502, média por jogo de 24.139 pessoas.
– 18 jogos com 70 gols, média de 3,88 gols por partida.
Campanha: 1×0 Peru; 4×0 Romênia; 6×1 Iugoslávia; e 4×2 Argentina.
Artilheiros: Cea (5), Anselmo (3), Castro (2), Dorato (2), Iriarte (2) e Scarone (1).

ITÁLIA
1934 (campeão)
Olímpico de Roma (3), San Siro (3), Florença (3), Napoles (2), Turim (2), Trieste (1), Bologna (2) e Genova (1).
Público total de 394.995, média por jogo de 23.235 pessoas.
– 17 jogos com 69 gols, média de 4,05 gols por partida.
Campanha: 7×1 Estados Unidos; 1×1 Espanha (pr.0x0); 1×0 Espanha; 1×0 Áustria; e 1×1 Tchecoslováquia (pr.1×0).
Artilheiros: Schiavio (4), Ferrari (2), Meazza (2), Orsi (2, 1 na prorrogação), Guaita (1).

1990 (3ª.colocação)
San Paolo (6), Luigi Ferrari (5), Olímpico de Roma (6), San Nicola (4), Delle Alpi (5), Comunalle (4), Giuseppe Meazza (6), Renato DallÁra (1), Friuli (3), Sant’Elia (3), Bentegodi (4), La Favorita (3),
Público total de 2.515.188, média por jogo de 48.369 pessoas.
– 52 jogos com 109 gols, média de 2,09 gols por partida.
Campanha: 1×0 Áustria; 1×0 Estados Unidos; 2×0 Tchecoslováquia; 2×0 Uruguai; 1×0 Eire; 1×1 Argentina (pr.0x0 pe.3×4) e 2×1 Inglaterra.
Artilheiros: Schialli (6), Roberto Baggio (2), Giannini (1) e Aldo Serena (1).

FRANÇA
1938 (8ª.colocada)
Chapou (5), Parc des Princs (3), Velodrome (3), Fort Carree (1), Meinan (1), Victor Boucquey (1), Olímpico Paris (3) e Cavee Verte (1)
Público total de 482.994, média por jogo de 26.833 pessoas.
– 18 jogos com 80 gols, média de 4,44 gols por partida.
Campanha: 3×1 Bélgica e 1×3 Itália.
Artilheiros: Nicolas (2), Heisserer (1) e Veinante (1).

1998 (campeã)
Velodrome (4), Parc Lescue (4), Municipal Toulouse (4), Felix Bollaert (6), La Mosson (3), Geofroy-Guichard (3), Stade de France (4), La Beaujoile (2), Gerland (5) e Parc des Princs (5).
Público total de 2.785.088, média por jogo de 43.517 pessoas.
– 64 jogos com 170 gols, média de 2,65 gols por partida.
Campanha: 3×0 África do Sul; 4×0 Arábia Saudita; 2×1 Dinamarca; 0x0 Paraguai (pr.1×0); 0x0 Itália (pr.0x0 pe.4×3); 2×1 Croácia e 3×0 Brasil.
Artilheiros: Thierry Henry (3), Petit (2), Thuran (2), Zidane (2), Blanc (1), Djorkaeff (1), Dugarry (1), Lizarazu (1) e Trezeguet (1) – Issa (contra da África do Sul).

BRASIL
1950 (vice)
Maracanã (8), Beira-Rio (2), Independência (3), Pacaembu (6), Durival de Brito (2) e Ilha do Retiro (1)
Público total de 1.045.242, média por jogo de 47.511 pessoas.
– 22 jogos com 88 gols, média de 4,00 gols por partida.
Campanha: 4×0 México; 2×2 Suíça; 2×0 Iugoslávia; 7×1 Suécia; 6×1 Espanha e 1×2 Uruguai.
Artilheiros: Ademir Menezes (9), Chico (4), Baltasar (2), Jair (2), Zizinho (2), Friaça (1), Alfredo (1) e Maneca (1).

2014 (4º.colocação)
Maracanã (7), Estádio Nacional Brasília (7), Itaquerão (6), Mineirão (6), Castelão (6), Beira-Rio (5), Fonte Nova (6), Arena Pernambuco (5), Arena Manaus (4), Arena das Dunas (4), Arena da Baixada (4) e Arena Pantanal (4).
Publico total de 3.429.513, média de 53.586 pessoas.
– 64 jogos com 166 gols, média de 2,59 gols por partida.
Campanha: 3×1 Croácia; 0x0 México; 4×1 Camarões; 1×1 Chile (pr.0x0 pe.3×2); 2×1 Colômbia; 1×7 Alemanha e 0x3 Holanda.
Artilheiros: Neymar (4), Oscar (2), David Luiz (2), Thiago Silva (1), Fernandinho (1) e Fred (1).

SUÍÇA
1954 (5ª.colocada)
Charmilles (4), St.Jakob (6), La Pontaise (5), Hardtun (5), Wankdorf (5) e Comunalle (1)
Publico total de 942.994, média por jogo de 36.269 pessoas.
– 26 jogos com 136 gols, média de 5,23 gols por partida.
Campanha: 2×1 Itália; 0x2 Inglaterra; 4×1 Itália e 5×7 Áustria.
Artilheiros: Huegi (5), Ballamann (4) e Hanappi da Áustria. 

SUÉCIA
1958 (vice)
Malmoe FF (4), Orjans Vall (2), Olympia (2), Idrottsparken (3), Tunavallon (1), Rasunda (8), Arosvallen (2), Jarvallen (2), Eyravallen (1), Nyaullevi (7), Ryavallen (2) e Rimmersvallen (1).
Público total de 868.000, média de 24.800 pessoas.
– 35 jogos com 126 gols, média de 3,60 gols por partida.
Campanha: 3×0 México; 2×1 Hungria; 0x0 País de Gales; 2×0 URSS; 3×1 Alemanha e 2×5 Brasil.
Artilheiros: Hamrin (4), Simonsson (4), Liedholn (2), Skoglund (1) e G.Gren (1).

CHILE
1962 (3ª.colocação)
Carlos Dittborn (7), Estádio Nacional (10), Sausalto (8) e Braden Cooper (7).
Público total de 776.000, média de 24.250 pessoas.
– 32 jogos com 89 gols, média de 2,78 gols por partida.
Campanha: 3×1 Suíça; 2×0 Itália; 0x2 Alemanha; 2×1 URSS; 2×4 Brasil e 1×0 Iugoslávia.
Artilheiros: Leonel Sanchez (3), Rojas (3), Ramirez (2), Toro (1), Leonel (1)

INGLATERRA
1966 (campeã)
Wembley (9), Hillsborough (4), Goodison Park (5), Villa Park (3), Old Trafford (3),White City (1), Ayresome Park (3) e Roker Park (4).
Público total de 1.614.688, média de 50.459 pessoas.
– 32 jogos com 87 gols, média de 2,71 gols por partida.
Campanha: 0x0 Uruguai; 2×0 México; 2×0 França; 1×0 Argentina; 2×1 Portugal e 2×2 Alemanha (pr.2×0).
Artilheiros: Hurst (2 + 2 na prorrogação), Bobby Charlton (3), Hunt (3) e Peters (1).

MÉXICO
1970 (6ª.colocação)
Azteca (10), Cuauhtemoc (3), Jalisco (8), Luis Dosal (4) e Guanajuato (7).
Público total de 1.673.984, média de 52.312 pessoas.
– 32 jogos com 88 gols, média de 2,75 gols por partida.
Campanha: 0x0 URSS; 4×0 El Salvador; 1×0 Bélgica e 1×4 Itália.
Artilheiros: Valdivia (2), Basaguren (1), Fragoso (1), Gonzalez (1) e Pena (1).

1986 (6ª.colocação)
Azteca (10), Olímpico Cidade do México (3), Urapuato (3), Toluca (3), Guanajuato (4), Cuahtomoc (5), Jalisco (8), Tres de Marzo (2), Nezahualcoyotl (3), Universitario Monterrey (4), Tecnologico Monterrey (3) e La Corregidora (4).
Público total de 2.441.712, média de 46.956 pessoas.
– 52 jogos com 132 gols, média de 2,53 gols por partida.
Campanha: 2×1 Bélgica; 1×1 Paraguai; 1×0 Iraque; 2×0 Bulgária e 0x0 Alemanha (pr.0x0 pe.1×4).
Artilheiros: Quirarte (2), Flores (1), Negrete (1), Hugo Sanchez (1) e Servin (1).

ALEMANHA
1974 (campeã)
Olympiastadion Berlin (1), Waldstadion (5), Westfalenstadion (4), Volksparkstadion (3), Parkstadion (5), Niedersachsenstadion (4), Rheinstadion (5), Olympiastadion Munique (5) e Neckarstadion (4).
Público total de 1.774.030, média de 46.685 pessoas.
– 38 jogos com 97 gols, média de 2,55 gols por partida.
Campanha: 1×0 Chile; 3×0 Austrália; 0x1 Alemanha Oriental; 2×0 Iugoslávia; 4×2 Suécia; 1×0 Polônia e 2×1 Holanda.
Artilheiros: Gerd Muller (4), Breitner (3), Overath (2), Bonhof (1), Cullmann (1), Grabowski (1) e Hoeness (1).

2006 (3ª.colocada)
Munique (6), Gelsenkirchen (5), Dortmund (6), Hamburgo (5), Olympiastadion (6), Hannover (5), Frankfurt (5), Nuremberg (5), Colonia (5), Kaiserslaurten (5), Leipzig (5) e Stuttgart (6).
Público total de 3.287.680, média de 51.370 pessoas.
– 64 jogos com 144 gols, média de 2,25 gols por partida.
Campanha: 4×2 Costa Rica; 1×0 Polônia; 3×0 Equador; 2×0 Suécia; 1×1 Argentina (pr.0x0 pe.4×2); 0x0 Itália (pr.0x2) e 2×1 Portugal.
Artilheiros: Miraslov Klose (5), Podolski (3), Schweinsgteiger (2), Frings (1), Lahn (1) e Neuville (1). – Petit de Portugal para a Alemanha.

ARGENTINA
1978 (campeã)
Monumental Nunez (9), Mar del Plata (6), Córdoba (8), Jose Amalfitani (3), Rosário (6) e Mendoza (6).
Público total de 1.610.288, média de 42.376 pessoas.
– 38 jogos com 100 gols, média de 2,68 gols por partida.
Campanha: 2×1 Hungria; 2×1 França; 0x1 Itália; 2×0 Polônia; 0x0 Brasil; 6×0 Peru; 1×1 Holanda (pr.2×0).
Artilheiros: Mario Kempes (5 + 1 na prorrogação), Luque (4), Bertoni (1 + 1 na prorrogação), Passarela (1), Housemann (1) e Tarantini (1).

ESPANHA
1982 (12ª.colocação)
Balaídos Vigo (3), Nuevo Estadio (3), Riazor (3), Carlos Tartiere (3), Jose Rico Perez (3), El Molinon (3), Camp Nou (5), Jose Zorrilla (3), La Romareda (3), Benito Villamarin (2), San Mames (3), La Rosaleda (3), Luis Casanova (3), Sanchez Pizjuan (2), Santiago Bernabeu (4), Sarriá (3) e Vicente Calderon (3).
Público total de 2.064.348, média de 39.699 pessoas.
– 52 jogos com 142 gols, média de 2,79 gols por partida.
Campanha: 1×1 Honduras; 2×1 Iugoslávia; 0x1 Irlanda do Norte; 1×2 Alemanha e 0x0 Inglaterra.
Artilheiros: Juanito (1), Lopez Ufarte (1), Saura (1) e Zamora (1).

ESTADOS UNIDOS
1994 (14ª.colocação)
Silverdome (4), Rose Bowl (8), Stanford (6), Soldier Field (5), Cotton Bowl (6), Foxboro Stadium (6), Giants Stadium (7), RFK Stadium (5) e Citrus Bowl (5).
Público total de 3.567.408, média de 68.604 pessoas.
– 52 jogos com 138 gols, média de 2,65 gols por partida.
Campanha: 1×1 Suíça; 2×1 Colômbia; 0x1 Romênia e 0x1 Brasil.
Artilheiros: Wynalda (1), Stewart (1). – Escobar da Colômbia para os Estados Unidos.

JAPÃO-CORÉIA DO SUL
2002 (Coréia do Sul na 4ª.colocação, e Japão na 9ª.colocação)
Público total de 2.705.152, média de 42.268 pessoas.
– 64 jogos com 156 gols, média de 2,43 gols por partida.
Campanha do Japão: 2×0 Bélgica, 1×0 Rússia, 2×0 Tunísia e 0x1 Turquia.
Artilheiros: Inamotto (2), Morishima (1), Nakata (1) e Suzuki (1).
Campanha da Coréia do Sul: 2×0 Polônia, 1×1 Estados Unidos, 1×0 Portugal, 1×1 Itália (pr.1×0), 0x0 Espanha (pr.0x0 pe.5×3), 0x1 Alemanha e 2×3 Turquia.
Artilheiros: Ahn Jung-Hwan (2), Hwamg Sun-Hong (1), Lee Eul-Yong (1), Park Ji-Sung (1), Seol Ki-Hyeon (1), So-Chong-Gu (1) e Youu Sang-Chul (1)

ÁFRICA DO SUL
2010 (20ª.colocação)
Soccer City (8), Cape Town (8), Nelson Mandela Bay (8), Coca-Cola Park (7), Royal Bafokeng (6), Peter Mokaba (4), Loftus Versfeld (6), Moses Mabhida (7), Vodacom Park (6) e Mbombela (4).
Público total de 2.873.447, média de 44.897 pessoas.
– 64 jogos com 143 gols, média de 2,23 gols por partida.
Campanha: 1×1 México; 0x3 Uruguai; 2×1 França.
Artilheiros: Siphiwe Tshabalala (1), Bongani Khumalo (1) e Katlego Mphela (1).

BATE BOLA HISTÓRICO

Em 84 anos de Copas (1930-2014), foram 15 países diferentes como sede, sendo que pela ordem México, Itália, França, Alemanha e Brasil por duas vezes receberão o Mundial.

As seleções que sediaram realizaram 113 jogos, 68 vitórias, 25 empates, 20 derrotas, com 13 jogos chegando à prorrogação e 6 ainda indo para os pênaltis. Foram 208 gols marcados pelas seleções sede e 102 gols sofridos, incluindo as prorrogações.

Os anfitriões que mais marcaram gols foram o Brasil em 1950 com 22 marcados, e mais Uruguai (1930) com 15 gols e também a França em 1998 sendo que 1 gol foi na prorrogação. Acumulando aqueles que sediaram duas vezes, o Brasil fez 33 gols, Alemanha (26), Itália (22), França (19) e México (12). Coincidências para México e Alemanha que sediaram duas vezes e marcaram a mesma quantidade de gols: México 6+6 e Alemanha 13+13.

Com relação às conquistas, somente 6 conquistas de Pais Sede, o Uruguai em 1930, a Itália em 1934, a Inglaterra em 1966, a Alemanha em 1974, a Argentina em 1978 e a França em 1998, ou seja, completando este ano 20 anos e 4 copas sem que o país sede tenha sua seleção campeã. E aqueles que sediaram duas vezes, Brasil e México não conquistaram nada, com Itália (sim em 1934 e não em 1990), a Alemanha (sim em 1974 e não em 2006), e a França não em 1938 e sim em 1998.

Em partidas disputadas, Uruguai e Itália fizeram respectivamente em 1930 e 1934, 4 e 5 partidas até a final. O Brasil fez 6 jogos em 1950, assim como Suécia, Chile e Inglaterra, esta sendo campeã em 1966. Nas Copas de 1974 e 1978, Alemanha e Argentina jogaram 7 partidas, quando ainda participavam 16 seleções no torneios, e ambas foram a decisão para serem campeãs.

A partir de 1982 até 1994 foram 4 copas com 24 seleções de desde 1998 com 32 seleções, indo agora para a 6ª edição com este número de seleções. Assim a França (decisão de 1998), Alemanha (3ª.colocação de 2006) e Brasil (4ª.colocação de 2014), também jogaram 7 partidas em uma copa.

No acumulado para sedes repetidas, a Alemanha jogou 14 partidas em 1974-2006, o Brasil 13 partidas em 1950-2014, a Itália 12 partidas em 1934-1990, e fechando com França (1938-1998) e México (1970-1986) com 9 partidas acumuladas cada um.

Em termos de aproveitamento, proporcional ao número de jogos, o Uruguai venceu as 4 partidas de 1930, porém outras 3 seleções foram campeãs invictas, como a Itália em 1934, a Inglaterra em 1966, e a França em 1998. E ainda, terminaram invictas sem título: México em 1986, Itália em 1990 e Alemanha em 2006.

As piores participações como sede foram a África do Sul (20ª. colocação em 2010), os Estados Unidos (14ª. colocação em 1994) e a Espanha (12ª. colocação em 1982) o que foi realmente decepcionante para um país de maior categoria no futebol mundial. A África do Sul foi a única eliminada ainda na primeira fase.

Então agora em 2018, a Rússia se torna o 16º país Sede, e jogará o mínimo de 3 partidas podendo chegar até 7 partidas indo as semifinais. Das 20 copas disputadas, 10 aconteceram na Europa, 5 na América do Sul, 3 na América do Norte, 1 na África, 1 na Ásia com a dupla Japão/Coréia do Sul e agora com a Rússia que está geograficamente na Ásia, mas sempre fez parte da Federação Europeia.

O Brasil é penta conquistando os títulos foram do Brasil, sendo 1 na América do Sul (1962), 1 na Europa (1958), 2 na América do Norte (1970-1994) e outro na Ásia (2002). Não conquistou na África em 2010. E as tetras campeãs foram desta forma: Itália, campeã em casa em 1934, na França em 1938, na Espanha em 1982 e na Alemanha em 2006, tudo na Europa; e a Alemanha na Suíça em 1954, em casa em 1974, na Itália em 1990 e no Brasil em 2014, pela primeira vez fora da Europa. As bi-campeãs Uruguai (casa em 1930 e no Brasil em 1950) e a Argentina (casa em 1978 e no México em 1986). Fecham Inglaterra (1966 em casa), França (1998 em casa) e Espanha (2010 na África).

Ate o próximo capítulo quando falaremos de campeões, jogadores, técnicos, craques da copa e outros detalhes.

#

Post Anterior
Grandes Clássicos no Futebol Europeu - parte 7
Próximo Post
Públicos nos clássicos estaduais de 2018.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.