InícioAtualidadesMuitas estatísticas da decisão da Copa do Brasil e do 1o.turno do Brasileiro.

Muitas estatísticas da decisão da Copa do Brasil e do 1o.turno do Brasileiro.

Muitos números do turno CB1 e da decisão da Copa do Brasil.
E as nossas competições nacionais estão em andamento com encerramento do 1º.turno da 1ª.divisão, com as semifinais na 3ª.divisão e a grande decisão da Copa do Brasil.

Nesta quarta, em Porto Alegre, Internacional e Atlético-PR entram em campo para definir o campeão 2019 e a vaga garantida na Libertadores de 2020.
Nas 30 decisões anteriores, sempre em dois jogos, tivemos uma série de resultados que se tornam estatísticas, que muitas vezes são conferidas pelas torcidas em busca daquela esperança pelo título.
Já são 15 times diferentes que conquistaram a competição. Para o Atlético-PR será a primeira vez, mas o Internacional será o 2º.título.

Algumas estatísticas das decisões, a seguir:

  • na 2ª.partida, 13 títutos foram em favor da time da casa, e os 17 outros títulos em favor ao visitante.
  • quem venceu a 1ª.partida (16 vezes), 13 conquistaram o título na 2ª.partida. Não conquistaram: Fluminense (1992), Cruzeiro (1998) e Corinthians (2008).
  • possibilidade de pênalti – sempre existiu, mas nunca aconteceu até a 27ª. edição em 2015, com o clássico Palmeiras x Santos, que por ter sido uma decisão entre clubes de mesmo Estado, não seria considerado o gol qualificado (1×0 e 1×2). Já em 2017, entre Cruzeiro x Flamengo (1×1 e 0x0), foi alterado o regulamento antes da decisão, não valendo o gol qualificado. Nestes dois casos se valesse o gol qualificado não teria havido pênaltis. Somente a partir de 2018 é que o gol qualificado deixava de ser critério, em qualquer fase, de desempate.
  • das 5 vezes em que o placar da 1ª.partida foi 1×0 (em 2019 pela 6ª.vez), em 3 vezes o vencedor conseguiu o título na 2ª.partida (Flamengo em 1990, Vasco em 2011 e Cruzeiro em 2018). Nas outras 2 vezes, quem fez 1×0 na ida, perdeu o título (Cruzeiro em 1998 e Santos em 2015, este nos pênaltis).
  • em 4 decisões, quem venceu a 1ª.partida também venceu a 2ª.partida – Corinthians x Grêmio (1996), Flamengo x Vasco (2006), Atlético-MG x Cruzeiro (2014) e Cruzeiro x Corinthians (2018).
  • a 2ª.partida com muitos gols aconteceu (pelo menos 4 gols) em 5 oportunidades: Flamengo 2×2 Grêmio (1997), Corinthians 1×3 Grêmio (2001), Cruzeiro 3×1 Flamengo (2003), Internacional 2×2 Corinthians (2009) e Coritiba 3×2 Vasco (2011) esta a que teve mais gols na partida decisiva.
  • o recorde de gols nos dois jogos da decisão foi em 2001, com Grêmio 2×2 3×1 Corinthians (8 gols), seguido de 2003 (Flamengo 1×1 1×3 Cruzeiro), 2004 (Santo André 2×2 2×0 Flamengo), 2008 (Corinthians 3×1 0x2 Sport), 2009 (Corinthians 2×0 2×2 Internacional), 2011 (Vasco 1×0 2×3 Coritiba) e 2016 (Atlético-MG 1×3 1×1 Grêmio).

Pelos números, muito provável o título do Atlético-PR. Mas poderemos torcer pra sair bastante gol e mesmo assim ter uma decisão por pênaltis.

1ª.divisão do Brasileiro ao final do 1º.turno.
Ao final da 19ª. rodada (1º.turno) chegamos no meio da competição e esta classificação nos remete as outras edições, aqui considerando os últimos 10 anos. Vamos ver o que os números fizeram:

  • por 7 vezes o 1º.colocado do turno conquistaria o campeonato na 38ª.rodada.
  • nos 3 outros casos, em 2009 o Flamengo saiu da 7ª.colocação para ser campeão, em 2012 o Fluminense ficou em 2º no 1º.turno e conquistou o título e em 2018 o Palmeiras saiu da 6ª.colocação para conquistar o título nacional.
  • por 2 vezes, o 2º.colocado no 1º.turno terminaria com o vice-campeonato (São Paulo em 2014 e Atlético-MG em 2015), e somente o Fluminense em 2012 chegaria ao título.
  • em 2019 o Flamengo alcançou a boa pontuação de 42 pontos, porém por três outras vezes outros fizeram mais pontos: em 2017 (Corinthians 47 pts), em 2014 (Cruzeiro 43 pts) e em 2012 (Atlético-MG 43 pts – sendo que neste mesmo ano o Fluminense fez 42 pts ficando em 2º.lugar no turno).
  • a pontuação mais baixa em termos de 1º.turno foi o Palmeiras (2016, 36 pts), o Internacional (2009, 37 pts) e o Corinthians (2011, 37 pts) sendo que Palmeiras e Corinthians ainda chegaram ao título.
  • dos 4 primeiros colocados no 1º.turno, somente por 3 vezes, os mesmos clubes permaneceram entre as 4 colocações, porém em posições diferentes, exceto o 1º.colocado que terminaria como campeão (Cruzeiro em 2013 e 2014) e Corinthians (2017).
  • por outras 5 vezes, pelo menos um clube deixou o G4 do 1º.turno, ao final do campeonato: o São Paulo em 2011, o Vasco em 2012,o Fluminense em 2015, o Corinthians em 2016 e o São Paulo em 2018, o pior caso pois liderava o campeonato e ficaria fora do G4 após as 38 rodadas.
  • daqueles que não estavam no G4 após 19 rodadas (abrindo uma vaga), o Fluminense foi o que teve maior recuperação, em 2011, saindo da 11ª.colocação e terminando o campeonato na 3ª colocação. Outros dois times fizeram recuperação maior, porém com 2 clubes saindo do G4, em 2009, com o Cruzeiro saindo da 15ª. colocação para 4º.colocado, e em 2010, com o Grêmio saindo da 16ª.colocação para a 4ª.colocação final.
  • dos que estavam fora do G4 em 19 rodadas, somente dois chegaram ao título: o Flamengo em 2009 (7ª.colocação) e o Palmeiras em 2018 ( 6ª.colocação). E foi o Flamengo que com menor pontuação em 19 rodadas (29 pontos) conseguiria chegar ao título em 2009. Os outros 9 campeões fizeram pelo menos 36 pontos e alcançaram o título.
  • isso refletiu na pontuação final, a menor na história (incluindo aí desde 2006 com 20 clubes pontos corridos) foi o Flamengo campeão com 67 pontos em 2009. Acima disso tivemos 71 (2010-2011), 72 (2017), 76 (2013), 77 (2012), 80 (2014-2018) e 81 pontos (Corinthians em 2015).

Indo para a parte de baixo da classificação, o Z4, vamos ver o que aconteceu nestes 10 anos:

  • somente uma vez (2012) o 4 últimos no 1º.turno também foram os rebaixados, incluindo aí o Palmeiras que tinha sido campeão da Copa do Brasil naquele ano.
  • por 7 vezes, um dos 4 últimos conseguiu escapar: Fluminense (2009, 15 pts), Atlético-MG (2011, 15 pts), São Paulo (2013, 18 pts), Coritiba (2014, 17 pts), 2015 (Coritiba, 18 pts), Cruzeiro (2016, 19 pts) e Ceará (2018, 16 pts).
  • por 2 vezes, dois dos 4 últimos colocados conseguiram escapar: 2010, Atlético-MG (19 pts) e Atlético-GO (17 pts), e em 2017, São Paulo (19 pts) e Vitória-BA (19 pts). Nestes dois casos, aconteceram que clubes com boas pontuações e colocações seriam rebaixados: em 2010 (Guarani-SP, 26 pontos na 9ª.colocação) e em 2017 (Coritiba-PR, 25 pontos na 10ª.colocação) indo parar naquelas duas vagas que ficaram no Z4.
  • também por 3 vezes clubes com boa colocação (2011 Ceará 12º.colocado), (2013 Vasco 11º.colocado) e (2018 América-MG 11º.colocado) também seriam rebaixados, entrando em 1 vaga que ficava no Z4.
  • Dos 10 que estavam na 17ª.colocação, 7 foram rebaixados.
  • Dos 10 que estavam na 18ª.colocação, somente 5 foram rebaixados.
  • Dos 10 penúltimos colocados, 7 foram rebaixados.
  • Todos os 10 últimos colocados no 1º.turno foram rebaixados.
  • em 2019 o Cruzeiro ficou na 17ª.colocação com 18 pontos. Isso aconteceu outras 4 vezes e somente uma vez, em 2013, o São Paulo conseguiu escapar. Ainda considerando esta colocação, Atlético-MG (2010), Goiás (2015) e São Paulo (2017) fizeram 19 pontos e escaparam. Já o Sport (2018 com 20 pontos) e o Figueirense (2016 com 21 pontos) foram rebaixados ao final das 38 rodadas.

Conclusões objetivas:

  • muito provável o título do Flamengo, 70% dos casos, terminando o 1º.turno na liderança.
  • provável que somente 1 dos 4 primeiros colocados (Palmeiras, Santos e Internacional) não termine no G4.
  • provável que Chapecoense e Avaí sejam rebaixados, e o Cruzeiro consiga escapar.

E não deixando de fazer a observação porque o critério de analisar os últimos 10 anos. Na verdade foi em 2003 que começou os pontos corridos com 24 clubes, o mesmo em 2004 e em 2005 já com 22 clubes, com mais rodadas e jogos por cada participante, o que nos daria outros parâmetros em termos de pontuação.
Já no período de 2006-2007-2008 aconteceu o tricampeonato do São Paulo que pareceu até de fácil conquista – em 2006 e 2007 virou o turno com vantagem de 4 e 7 pontos, mas em 2008 estava na 4ª.colocação, há 7 pontos no líder Grêmio – o que registrou uma constância do mesmo time campeão. Porém outros 3 fatos aconteceram: em 2007 pela única vez, o São Paulo que virava o turno na liderança, mas os outros 3 clubes do G4 seriam substituídos por clubes que estavam afastados nas colocações (Santos na 8ª.colocação, Flamengo na 11ª.colocação e Fluminense na 12ª.colocação); outros dois casos, o São Caetano na 10ª.colocação seria rebaixado ao final de 2006, e também o Figueirense na 11ª.colocação em 2008 também rebaixado; e ainda em 2008 ao final do 1º.turno, 3 grandes clubes estavam no Z4 – Vasco, Santos e Fluminense – com o Vasco não escapando. Também os 3 últimos colocados nestes anos também foram rebaixados ao final do campeonato.

FOTO: vejaabril.com

Post Anterior
Conjunto de Confrontos, os grandes times contra clubes de Pernambuco, parte 3b.
Próximo Post
Informativo em Revista - Edição 30 - agosto/2019.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.