InícioMomento HistóricoParticipações de clubes em comp.nacionais 1959-2020, parte 1/3.

Participações de clubes em comp.nacionais 1959-2020, parte 1/3.

Quais clubes participaram das Competições Nacionais 1959-2020 – parte 1/3.
Neste ano atípico de Pandemia, também aqui no nosso futebol nacional, a CBF alterou o sistema de disputa da 4ª.divisão, que teve sua 1ª.edição em 2009.
O surgimento desta divisão vinha naquela época – antes os pontos corridos da 1ª.divisão em 2003, e na 2ª.divisão em 2006 – de limitar à 20 clubes na 3ª.divisão e então a necessidade da 4ª.divisão nacional.
O critério de sua criação foi direto na 3ª.divisão de 2008, quando os 20 melhores colocados (na verdade os 16 melhores além dos 4 que subiram e com os 4 que caíram da 2ª.divisão de pontos corridos de 2008.

Então a 4ª.divisão seguiu com 40 clubes entre 2009 e 2015, passando para 68 clubes em 2016.
Vamos ver nesta pesquisa, que clubes como Operário-VG-MT ou Operário-MS, ou Potiguar-M-RN, os Américas, os Botafogos, os Comercials e assim por diante, participaram das divisões ao longo destas décadas.

Taça Brasil entre 1959 e 1968:
Logo em 1959 estava o Atlético-PR, o Ferroviário-MA e o Auto Esporte-PB. No ano seguinte o Capelense-AL, O Santa Cruz-SE, o Paula Ramos-SC, o Estrela do Mar-PB e o Fonseca-GB (antes da fusão entre a Guanabara e o Rio de Janeiro Estado). Em 1961, o Metropol-SC de Criciúma, o Santo Antônio-ES, e novamente Fonseca-GB e Santa Cruz-SE.
Já em 1962, o Comercial-PR de Cornélio Procópio. Em 1963 o Londrina-PR e Defele-DF, os primeiros times do futebol Brasiliense. No ano seguinte, 1964, o Fluminense-BA, o Grêmio Maringá-PR, o Cruzeiro-DF e o Goytacaz-RJ. Seguindo em 1965 com o Siderúrgia-MG de Sabará, Olímpico-SC de Blumenau, o Eletrovapo-RJ (participava do campeonato do interior) e o Guanabara-DF.
Fechando nos últimos anos, em 1966 com Ferroviário-PR (antepassado do Colorado-PR), Rabello-DF, Internacional-SC de Lajes e Anápolis-GO. Em 1967, Perdigão-SC de Videira, América-CE, Leônico-BA e Piauí-PI. Fechando em 1968, com Operário-VG-MT, Olímpico-AM, Água Verde-PR (antepassado do Pinheiros-PR) e ainda o CRAC-GO que não chegou a jogar em grupo contra Goytacaz-RJ e Desportiva-ES.

Roberto Gomes Pedrosa entre 1967 e 1970:
Neste novo período do futebol nacional, o torneio RJ-SP era extinto em 1966 e como clubes de outros estados, surgia o Robertão. Juntaram-se aos clubes paulistas e cariocas: em 1967, Internacional-RS, Cruzeiro-MG, Grêmio-RS, Atlético-MG e Ferroviário-PR; em 1968, os mesmos gaúchos e mineiros com mais Atlético-PR, Náutico-PE e Bahia-BA; em 1968, novamente gaúchos e mineiros, e mais Santa Cruz-PE, Coritiba-PR e Bahia-BA; fechando em 1970, com Bahia-BA, Santa Cruz-PE, Atlético-PR e Ponte Preta-SP, acrescentando também que nestas edições estiveram Bangú-RJ, América-RJ e Port.Desportos-SP que alternaram participações no RJSP entre 1950 e 1966.

Anos 1971 só com uma divisão.
Surgia então a partir de 1971 o Campeonato Brasileiro, com duas divisões em 1971 e 1972, e depois somente um grande campeonato até 1979.
Então foram estreando a cada ano (desconsiderando quem já havia participado até 1970), 1971 (Ceará-CE e Sport-PE), 1972 (Remo-PA, Vitória-BA, Nacional-AM, América-MG, ABC-RN, CRB-AL e Sergipe-SE), 1973 (Goiás-GO, Guarani-SP, Tiradentes-PI, Comercial-CG-MT, Olaria-RJ, CEUB-DF e Figueirense-SC) e 1974 (Operário-CG-MT, Sampaio Corrêa-MA, Itabaiana-SE e Avaí-SC).
Na segunda metade dos anos 1970 aumentava-se mais ainda o número de participantes. Em 1975 disputavam pela 1ª.vez, Goiânia-GO, e Campinense-PB, em 1976 eram Botafogo-PB, Mixto-MT, Flamengo-PI, Uberaba-MG, Londrina-PR, Treze-PB e os recém fundados Caxias-RS e Volta Redonda-RJ.

Interessante nesta época a quantidade de Estádios que eram construídos com o Mané Garrincha em Brasília-DF, o Serra Dourada em Goiânia-GO, o José Fragelli em Cuiabá-MT, o Pedro Pedrossian em Campo Grande-MS, o Engenheiro Araripe em Vitória-ES, o Machadão – Castelo Branco em Natal-RN, o Lourival Batista em Aracaju-SE, dentre tantos outros.
O mais relevante nisso tudo era a expansão que o futebol brasileiro fazia em vários Estados do país. Os grandes times do eixo Rio-Minas-SP e Rio Grande do Sul tinham até então raríssimas passagens no centro-oeste, nordeste e norte do Brasil.
Seguindo em 1977 com estréias de Botafogo-SP, XV Piracicaba-SP, Joinville-SC (recém fundado), Juventude-RS, Vitória-ES, Fast Clube-AM, Brasília-DF (recém fundado), Vila Nova-GO e Dom Bosco-MT. Em 1978, além do título nacional do Guarani-SP, 1º.clube do interior a ser campeão, tivemos a participação do Noroeste-SP, América-SP, Villa Nova-MG, Colorado-PR, Comercial-SP, Chapecoense-SC, Anapolina-GO, Uberlândia-MG, Itabuna-BA e Brasil-RS.
Chegávamos em 1979, 20 anos depois da criação da Taça Brasil, passando pelo Roberto Gomes Pedrosa e o Campeonato Brasileiro. Foram 94 participantes em 1979, um recorde pra lá de insuperável para uma “principal divisão” de um campeonato nacional. Então “apareceram” na disputa o Maranhão-MA, Campo Grande-RJ, Caldense-MG, Leônico-BA, Arapiraca-AL, Central-PE, São Paulo-RS, São Bento-SP, Atlético-GO, Criciúma-SC (recém fundado), Itumbiara-GO, Ferroviário-CE, Inter Limeira-SP, Novo Hamburgo-RS, Francana-SP, Tuna Luso-PA, Potiguar-Mossoró-RN, XV Jaú-SP, Operário-PR, Colatina-ES e Guará-DF.

E para não desconsidera, tivemos a 2ª.divisão em 1971 (22 clubes, com Ferroviário-CE, Central-RJ de Barra do Piraí, Rodoviária-AM de Manaus, Guarany Sobral-CE e América-SC de Joinville) e em 1972 (23 clubes, com Atlético-BA de Alagoinhas, América-PE de Recife, Central-PE de Caruaru, Maguary-CE de Fortaleza, Calouros do Ar-CE também de Fortaleza e São Domingos-AL de Maceió, recém fundado. Mas esta divisão não foi a frente no calendário.

Ufa !!, entre 1971 e 1979 foram 108 clubes diferentes somados com mais outros 20 clubes entre 1959 e 1970.
O que podemos considerar nestas duas décadas de competições nacionais é que o futebol realmente se desenvolveu em todo Brasil, com os campeonatos estaduais que tinham suas grandes paixões e rivalidades. A grande extensão territorial fazia do Brasil um “caso diferente” que aqui caberia quase duas dezenas de países europeus. Muitos Estádios inaugurados, oportunidade para os torcedores verem seus ídolos, muitos remanescentes do tricampeonato mundial de 1970. E é natural que os “clubes mais fracos” ou com “menores estruturas e recursos” foram subindo de patamar ao longo do tempo, exemplos mais recentes como a Chapecoense-SC e CSA-AL disputando um Brasileiro de 20 clubes com pontos corridos, e também Atlético-GO, Operário-PR, América-MG, Londrina-PR e também Sampaio Corrêa-MA e Cuiabá-MT, este último surgido em 2001.
Olhar para trás somente em críticas não deve fazer sentido. Foi outra época, sem TV, sem Internet, sem as facilidades do século XXI.
Em dezembro continuarem com esta pesquisa com os períodos de 1980 a 2002 (ano do nosso penta) e fechando com a Era dos pontos corridos 2003-2020, além das outras divisões.
Até lá.

FOTO: blogdopaz.com

Post Anterior
Oitavas de Finais da Libertadores e Sul-Americana.
Próximo Post
A 5a.rodada da fase de grupos, Copas Europeias.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.